Imprensa

Avanços no tratamento com células tronco
A Qualidade.Com implementou uma estratégia de divulgação que mostrava para a imprensa a importância da pesquisa
 
A metodologia de trabalho da Qualidade.Com, que integra planejamento de comunicação com a imprensa e execução do plano com foco em resultado, conferiu ampla visibilidade nacional a um projeto desenvolvido pelo Centro Universitário Estácio da Bahia (Estácio FIB). 
 
No dia 1º de junho de 2011, o Jornal Hoje publicou uma matéria sobre os progressos do primeiro paciente com trauma raquimedular, que dava os primeiros passos após transplante com células tronco e depois de passar por 26 dias de tratamento na CASA (Clínica de Atenção à Saúde), do Centro Universitário.
 
A matéria inédita veiculada na rede Globo gerou várias reportagens em veículos nacionais, a exemplo dos jornais impressos Folha de S. Paulo e O Dia e portal G1. Além disso, as TVs locais (TV Bahia, TV Aratu, TV Itapoan e TVE) jornais (A Tarde, Correio, Tribuna da Bahia) e sites de várias estados produziram matérias especiais sobre o tema. Ao todo foram 47 inserções em junho de 2011.
 
A Qualidade.Com fez várias entrevistas com a fisioterapeuta e pesquisadora Claudia Bahia, responsável pela parceria entre a Estácio FIB e a Fiocruz, que lidera a pesquisa com a participação do Ministério da Saúde, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Hospital Espanhol e Hospital São Rafael. 
 
Depois de descobrir que se tratava de uma pesquisa inédita no mundo, envolvendo transplante com células troncos de pacientes com trauma raquimedular, a Qualidade.Com implementou uma estratégia de divulgação que mostrava para a imprensa a importância da pesquisa e do trabalho de fisioterapia desenvolvido naquela época na Clínica de Atenção à Saúde da Estácio FIB.
 
Antes de sugerir entrevista exclusiva à Rede Globo, a equipe da Qualidade.Com garantiu ao paciente que ele teria sua identidade preservada (atendendo a um pedido da família e da fisioterapeuta) e teve esse cuidado em todas as entrevistas. 
 
A história do ex-policial que ficou paraplégico por conta de um acidente e começava a dar os primeiros passos depois de um transplante com células tronco foi contada pelo repórter da TV Bahia, Mauro Anchieta, no Jornal Hoje, gerando ampla repercussão nacional e fortalecendo a imagem da Estácio FIB. O personagem Maurício Borges Ribeiro, 47 anos, foi protagonista de outras reportagens da Rede Globo. No Jornal Nacional, em 26.10.2011, e em janeiro de 2013, já com a identidade revelada.