Imprensa

Estácio FIB recolhe lixo eletrônico em Salvador
Material recebido pela instituição passa por um processo de recuperação e depois é doado para instituições de caridade

Os componentes de um computador apresentam metais pesados e tóxicos, como chumbo, arsênico e mercúrio, por isso não podem ser jogados em lixo comum. Para quem quiser fazer o descarte de forma consciente, na Estácio FIB há um projeto chamado “Lixo Eletrônico”, que recebe materiais para serem transformados em computadores e doados a instituições de caridade ou de inclusão digital. Os interessados podem entrar em contato por telefone (71) 2107-8211 ou e-mail lixoeletronicoestacio@gmail.com.

O projeto foi desenvolvido pelo professor do curso de Sistema de Informação da instituição, Edmilton Romão, que há alguns anos estuda o ciclo do lixo eletrônico: produção, consumo, descarte, reuso e reciclagem. A equipe de pesquisa do projeto é formada por dois professores orientadores, três alunos bolsistas de iniciação científica e quatro alunos voluntários.

Segundo Edmilton Romão, o projeto “Lixo Eletrônico” ainda está em fase inicial, mas a equipe já trabalha na recuperação de peças para doação em um laboratório no campus Gilberto Gil, no Stiep. “Recebemos muito material de informática, funcionando ou não, porém temos falta de alguns componentes como memória e mouse para concluir um número maior de máquinas recuperadas”, ressalta o professor, que está buscando parcerias com empresas que queiram contribuir com o projeto.

Materiais eletrônicos

O lixo eletrônico é constituído por qualquer peça ou dispositivo eletroeletrônico defeituoso ou não mais desejado. Nele, existem muitos componentes tóxicos, tais como:
· Chumbo: presente nos tubos de raios catódicos (CRT) e outros;
· Arsênico: presente nos monitores CRT antigos;
· Selênio: suprimento de energia;
· Retardante de chamas a base de bromato: presente em carcaças plásticas, cabos e circuitos integrados;
· Trióxido de antimônio: outros retardantes de chamas;
· Cádmio: presente em baterias, circuitos integrados e semicondutores;
· Cromo: presente em decoração e proteção contra corrosão;
· Cobalto: presente nas estruturas;
· Mercúrio: presente em encaixes, termostatos e sensores;

Em 2010, segundo a ONU foram geradas 150 milhões de toneladas de lixo eletrônico no mundo. No Brasil, em média, são gerados 0,6 kg de lixo eletrônico por pessoa por ano. Um computador contém:
· 40% de plástico
· 37% de metais
· 5% de dispositivos eletrônicos
· 1% de borracha
· 17% de outros materiais

Vale ressaltar que 94% desses materiais são recuperáveis.

Sobre a Estácio

Um dos maiores e mais conceituados grupos de ensino superior da América Latina, a Estácio atua há 42 anos no país. A instituição, presente em todas as regiões geográficas do Brasil, possui cerca de 4 mil funcionários, corpo docente de 7,5 mil professores e 334,2 mil alunos matriculados. Formada por 39 instituições de Ensino Superior, entre Universidades, Centros Universitários e Faculdades, está presente em 20 estados e no Distrito Federal. Com um total de 77 campi, a instituição oferece diversos cursos presenciais e a distância de Graduação Tradicional, Tecnológica e Licenciatura nas áreas de Ciências Exatas, Biológicas e Humanas, cursos de pós-graduação lato sensu presenciais e a distância, cinco cursos de Mestrado e três cursos de Doutorado (Direito, Odontologia e Educação), avaliados com elevados conceitos de qualidade pelo MEC (Capes), além de cursos de extensão e educação corporativa.

Um dos principais diferenciais da Estácio é a oferta de material didático gratuito aos alunos. São capítulos integrais das melhores obras para cada disciplina e curso, oferecidas aos alunos com o pagamento, pela instituição, dos direitos autorais devidos. E há dois anos a Estácio inovou mais uma vez: cerca de 20 mil novos alunos já recebem o material didático do curso em um tablet. Além dos conteúdos de cada aula, de cada disciplina, o tablet traz ainda simulados, uma rede social exclusiva para os alunos (a Didátic@), chats, biblioteca virtual, entre vários outros materiais. A Estácio aposta na tecnologia e na inovação como ferramentas que ampliam e transformam as oportunidades de aprendizado dos seus alunos.