Imprensa

Dona Empreendimentos aposta em inovação para manter crescimento
O objetivo é driblar um problema que afeta drasticamente o mercado imobiliário baiano: a judicialização da LOUOS e do PDDU
  
Para continuar crescendo em um cenário desfavorável, a Dona Empreendimentos investe em um modelo gerencial voltado para a inovação. Ganhadora do Prêmio Ademi 2013 na categoria Empresa Revelação e Lançamento Imobiliário do Ano até 15 mil metros quadrados de área construída, a empresa prioriza o uso de novas tecnologias, a qualificação dos colaboradores e o investimento em pesquisas para entender as necessidades dos clientes e do mercado.
 
O sócio-diretor da Dona, Antônio Medrado, afirma que neste momento o foco é apostar em inovação e na melhoria de produtividade, para driblar um problema que afeta drasticamente o mercado imobiliário baiano: a judicialização da Lei de Ordenamento do Uso e de Ocupação do Solo (LOUOS) e do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), cujos efeitos estão suspensos desde dezembro do ano passado.
 
O empresário afirma que a deliberação do Tribunal de Justiça da Bahia, em 24 de julho, pela inconstitucionalidade das matérias, prejudica ainda mais um ambiente de negócios que já estava ruim. “O balanço do primeiro semestre deste ano é muito negativo. Tudo está parado: os incorporadores não estão prospectando novos negócios, os escritórios de arquitetura não têm demanda de novos projetos, as imobiliárias seguem sem lançamentos”, pondera. “O que precisamos de imediato são regras claras, definidas, para que possamos trabalhar, gerando emprego e renda. É muito pouco o que pedimos”, desabafa Medrado.
 
O Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (SINDUSCON-BA) confirma que há sete meses nenhum novo projeto foi liberado pela SUCOM. “Isso compromete a saúde financeira das pequenas e médias construtoras, afeta toda a cadeia produtiva da construção, reduz postos de trabalho e inibe a arrecadação, enfim, é ruim para toda a sociedade”, ressalta Medrado.
 
Inovação mercadológica
 
Apesar do cenário de estagnação, a Dona mantém um crescimento de xxx% ao ano. A empresa se dedica à construção de dois projetos lançados em 2012: o Noveau, um empreendimento que integra unidades de dois quartos, quarto e sala e coberturas, no Horto Florestal (Prêmio Ademi 2013), e o Quinta Avenida (quarto e sala, dois quartos e coberturas horizontais), localizado no Jardim Armação. “Sucesso absoluto de vendas, esses empreendimentos surgiram depois de ampla pesquisa mercadológica e de um trabalho voltado para a inovação. Nosso propósito era oferecer produtos únicos, que atendessem aos anseios dos clientes, e conseguimos”, afirma Medrado.
 
“Ao investir em inovação eu aposto na capacidade de propor novas e melhores soluções para os desafios. Essa é a melhor alternativa para crescer mesmo em momentos de turbulência”, afirma. Inovar sempre, com foco no uso de novas tecnologias construtivas, na valorização dos colaboradores e na melhoria contínua do sistema de gestão. Essa é a receita da Dona Empreendimentos para driblar a crise. Em Salvador, há atualmente, cerca de oito mil unidades em oferta, de acordo com a ADEMI-BA.
 
“Para crescer nesse cenário é preciso investir em diferenciais, do contrário, há risco de lançar empreendimentos e aumentar o número de unidades em estoque”, destaca Medrado. De acordo com a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), no Brasil, o percentual de investimento em inovação em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) é de apenas 1%. “Esse percentual ainda é muito pequeno, para avançar, as empresas e o governo brasileiro precisam investir mais na cultura de inovação”.
 
Sobre a Dona Empreendimentos
 
Em 1997, a Dona Empreendimentos surgia para atuar em vários segmentos da engenharia, especialmente em obras públicas. Há seis anos, a empresa foi reposicionada para o segmento imobiliário, com foco no lançamento de produtos diferenciados, para atender a necessidades específicas de mercado. A empresa adotou um modelo de gestão voltado para a inovação, que é aprimorado constantemente, ancorado na pesquisa mercadológica, no investimento em capital humano, na sustentabilidade e em novas tecnologias construtivas.